As opiniões dividem-se quanto ao lugar onde deve ser julgado o ex-homem forte da Sonangol. O diferendo entre os dois países subiu de tom nas últimas duas semanas, porque Angola quer que o antigo presidente do conselho de administração da Sonangol seja julgado em Luanda.

Tenho a impressão que se andar pela cidade de Luanda, inquirindo as pessoas sobre o que que pensam, se Manuel Vicente deve ou não ser julgado aqui, em Portugal, 90 por cento do cidadão comum lhe dirá que sim”, considera o jornalista angolano Graça Campos.

“As pessoas estão fartas dos corruptos e corruptores. E em Angola há quase toda a certeza de que Manuel Vicente não será punido”, acrescenta.

Esta é a visão do cidadão comum, adianta o diretor do Correio Angolense, para quem esta matéria tem um outro lado, mais complexo, inerente ao acordo de cooperação jurídico-judiciária entre os dois países, que, na opinião do jornalista, Portugal parece ter esquecido:

“Quando acionou Angola para enviar Manuel Vicente, parece que Portugal perdeu de vista esse acordo. Esse acordo é taxativo, não permite que Manuel Vicente seja julgado aqui, em Portugal. Por conseguinte, não vejo como Portugal vai sair dessa a partir do dia 22”.

“Ficou claro nas declarações do Presidente João Lourenço que Luanda poderá cortar relações políticas e diplomáticas com Portugal”, diz o jornalista angolano.

Portugal Justiz-Campus, Campus de Justiça in Lissabon
Campus de Justiça alberga o Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa

Autoridades portuguesas preocupadas com o diferendo

Na entrevista coletiva que concedeu, na capital angolana, a 8 de janeiro, João Lourenço sustentou que o julgamento de Manuel Vicente em Portugal é uma ofensa que terá consequências nas relações entre os dois países.

A posição do chefe do Executivo de Luanda deixou Portugal de “mãos atadas”.

Manuel Vicente …

Tanto o Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, como o primeiro ministro, António Costa, estão preocupados com o diferendo.

A este respeito, o primeiro-ministro português solicitou um parecer ao Conselho Consultivo da Procuradoria Geral da República sobre a imunidade do ex-vice-Presidente, cujo conteúdo se desconhece, com o objetivo de saber se podia satisfazer a demanda de Angola.

Para salvar as relações entre os dois países, António Costa volta a reunir-se com o Presidente angolano, João Lourenço, desta vez à margem do Fórum Económico Mundial, que tem lugar nos próximos dias em Davos, na Suíça.

Julgamento de Manuel Vicente ameaça relações luso-angolanas

Entretanto, em declarações aos jornalistas, Costa disse que “não há um problema entre o Governo português e o Governo angolano, entre o Presidente da República portuguesa e o Presidente da República de Angola, entre o Parlamento português e o Parlamento angolano”.

Para o chefe do Governo português, “há uma questão que Angola, aliás, identificou muitíssimo bem, de uma forma muito precisa, e que é da exclusiva responsabilidade das autoridades judiciais portuguesas”.

Interferir para transferir processo ?

Antes, também em reação às declarações de João Lourenço, a ministra da Justiça de Portugal, Francisca Van-Dúnem, afirmou, em entrevista à rádio portuguesa TSF, que o Governo português “não pode nem deve interferir em matérias que são exclusivamente do foro judicial”, à luz do conflito diplomático com Angola.

O jurista angolano João Gourgel reconhece que, à luz da Constituição portuguesa, o poder político não tem competências para interferir numa decisão do poder judicial.

Portugal Lissabon - João Gourgel: Jurist aus Angola (DW/J. Carlos)
O jurista angolano João Gourgel ..

Após analisar o acordo de cooperação na área da justiça, assinado entre Portugal e Angola, Gourgel diz que as autoridades portuguesas podem, sim, interferir para que seja feita a transferência para Angola do processo instaurado contra Manuel Vicente.

“E essa transmissão, a acontecer, decorre da execução ou cumprimento do acordo de cooperação jurídica e judiciária celebrada entre Portugal e Angola no ano de 1995”, explica.

O jurista lembra, por outro lado, que, neste processo, os arguidos portugueses têm necessariamente de ser julgados em Portugal. Já quanto a Manuel Vicente, lembra que “não é nacional de Portugal e não reside em Portugal.

É curioso que o acordo de cooperação jurídica e judiciária celebrado entre o Estado português e o Estado angolano prevê que o processo deve ser julgado no país de residência do infrator”.

“Estas são questões imperativas, de cumprimento obrigatório”, acrescenta Gourgel. Entretanto, a DW África sabe de fonte junto da Procuradoria-Geral da República que Manuel Vicente não poderá ser julgado em Angola porque goza de imunidade.

Tal também entende o juiz titular do processo da “Operação Fizz”.

O certo é que o julgamento, que tem início esta segunda-feira, poderá arrastar-se por tempo indeterminado.

Portugal o conseguiu notificar o arguido e Manuel Vicente não pode ser julgado à revelia.

Tal situação poderá levar a que se abra um processo autónomo.

Partilhar este artigo

22/01/2018

Mise en forma : jinga Davixa

LAVA JATO : Americanos atacam a Corrupção em Moçambique. E ANGOLA ??..

ANGOLA : Comunismo, Népotismo, e….Cabritismo !…

ESCROQUERIE : .. ET DIRE QUE J.E.S ?.. N’EST TOUJOURS PAS INCULPÉ ?..

O Falhanço da Lei de Repatriamento de Capitais …

ESTORIL SOL RESIDENCE : ..alto lugar … do « Cabritismo » angolano…

Executivo vai reaver os quase 5 mil milhões de dólares roubados do Estado,.. pela elite de então …

Interesses de Isabel dos Santos arrolados,.. no processo de empresas constituídas,.. com dinheiro roubado do Estado …

LAVA JATO : Americanos atacam a Corrupção em Moçambique. E ANGOLA ??..

ZENU : O “Cabritismo” ?.. num “musseque” de Londres ?..

ANGOLA : Une Banque Centrale,.. un pillage de 500 millions de $$ dollars et digne de… «Ocean’s Eleven» – -du genre intriguant,.. mis en échec par un caissier de la HSBC…

O PARLAMENTO : Quem nao vive para servir,… Nao devia servir para viver !

BESA : LE GOUVERNEUR MASSANO ET,.. LES PERTES « BOMBASTIQUES »,.. DE LA BNA.

ISABEL DOS SANTOS & SINDIKA : Diamonds for ever ?..

LAVA JATO : Americanos atacam a Corrupção em Moçambique. E ANGOLA ??..

CORRUPTION : Le PGR et la BNA ont omis de s’acquitter de leurs obligations légales… – Fernando Macedo

KLEPTOCRATIE : Le PCA de Banco BIC, M. Fernando Teles,.. nouvel « usurpateur » de terres à Kwanza Sul…

LAVA JATO : Americanos atacam a Corrupção em Moçambique. E ANGOLA ??..

ANGOLA : Conseils pratiques pour prisonniers .. de Luxe .. et autres..”V.I.P” ?.. – Rafael Marquès de Morais

BURACOS É CÁ COM A MALTA !..

CABRITO-ISPTEC : .. O Instituto Superior do Saque,.. ou do “Cabritismo” ?..

KLEPTOCRATIE : Comment ces Messieurs au pouvoir en Angola,.. ont-ils pu détourner des milliards €€ d’euros vers le Portugal ?..

LA « CONSPIRATION DES JUGES » : Urgence en Angola, de créér une Commission Présidentielle.. Anti-Corruption…

BASTOS-PAPERS : une prison  » RITZ-HOTEL » … pour Jean-Claude Bastos de Morais …

Congressista alerta JLO que práticas corruptas,.. estão afectar negócios norte-americanos …

BASTOS-PAPERS : une prison  » RITZ-HOTEL » … pour Jean-Claude Bastos de Morais …

 

 

4 pensées sur “GRAÇA CAMPOS : “90% dos angolanos quer que Manuel Vicente seja julgado em Portugal””

Laisser un commentaire

Votre adresse de messagerie ne sera pas publiée. Les champs obligatoires sont indiqués avec *